sábado, fevereiro 25, 2012

Esquecidos.

Eu moro onde seu Deus rico não vai, vim do lugar para onde ele não lança seu olhar de misericórdia. Sou esquecido pela beleza humana e a tecnologia que ela inventa. Eu não existo nos seus melhores dias, enquanto você vai ao shopping gastar.
Desconheço natais e páscoas, livros e filmes. A minha cultura, quando tenho forças para praticá-la, não foi modificada pelo dinheiro ou interesses.
Sou esquecido por todas as forças e olhares, e tudo aquilo que leis e regras dizem ser direito meu.
Posso morar em favelas, nas ruas, ou em lugares distantes cujo os nomes você não faça ideia.
Sou humano, esquecido humano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário