quinta-feira, março 22, 2012

Eu perguntei ao vento se de alguma forma, em algum lugar, haveria algo que pudesse suprir essa falta mais rápido do que o tempo estava fazendo. Perguntei à esmo, como quem não espera resposta, mas meus olhos abriram para que eu visse, não muito longe dali algo. Alguém.
Talvez essa falta nunca sane totalmente, talvez esse sentimento sempre vá arder quando pensar nas horas... Mas já não será do mesmo modo, não será da mesma cor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário